segunda-feira, 28 de novembro de 2011

É um livro.


Comprei este livro para a semente, que com 4 anos já se encontra num estado supremo de enamoramento pelo computador.
Este livro conta uma "história divertida e irónica, sobre os prós e os contras de dois tipos de tecnologias - quase duas formas diferentes de ver o mundo - contada através da interacção de duas personagens inesquecíveis."

O M. adorou.
Eu adorei e tenho a certeza que muitas outras mães criativas vão gostar também!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Os pedidos de uma criança

"Não tenham medo de serem firmes comigo. Prefiro assim. Isso faz com que eu me sinta mais seguro. Não me estraguem. Sei que não devo ter tudo o que peço. Só vos estou a experimentar. Não me corrijam com raiva, nem na presença de estranhos. Aprenderei muito mais se me falarem com calma e em particular.
Não me protejam das consequências dos meus erros. Às vezes, eu preciso aprender pelo caminho áspero. Não levem muito a sério as minhas pequenas dores. Necessito delas para amadurecer. Não sejam irritantes ao me corrigir. Se assim o fizerem, eu poderei fazer o contrário do que me pedem. Não me façam promessas que não poderão cumprir depois. Pois ficarei profundamente desapontado. Não ponham à prova a minha honestidade. Sou facilmente levado a dizer mentiras. Não me digam simplesmente que meus receios e medos não fazem sentido. Ajudem-me a compreendê-los e vencê-los. Não me digam que não conseguem me controlar. Eu me julgarei mais forte que vocês.
Não se esqueçam de que eu gosto de experimentar as coisas por mim mesmo. Não queiram ensinar tudo. Não tenham vergonha de dizer que me amam. Eu necessito desse carinho e amor para poder transmiti-lo a vocês e aos outros. Não desistam nunca de me ensinar o correcto, mesmo quando eu parecer não entender. Insistam através do exemplo e, no futuro, vocês verão em mim o fruto daquilo que plantaram."

Coroa de Natal com rolos de papel higiénico

domingo, 20 de novembro de 2011

Advento

E com o Natal mesmo ai á porta, por cá fazemos as primeiras decorações.
No quarto do M. vou fazer um calendário do advento como este, mas em saquinhos de papel para que ele não consiga ver o presentinho.

Caixas prateleiras

reuso8reuso7

Caixas que servem de prateleiras.
Para quartos de criança, fica muito bem pintar de branco da parte de fora e de cores diferentes no interior.
Para ficarem mais resistentes, depois de secas pincele as caixas com uma ou duas camadas de cola branca para madeira.

Sr. Peuga







Os Duendes do Pai natal



Uma garrafa de água pequena,folhas de velhos jornais, cola branca, tintas coloridas e fotocópia de fotografia da cara da criança.
Simples, divertido e optimos para colocar perto da árvore de Natal!

Anjinho de Outono

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Porque tudo pode ser estimulante...

Separação conflituosa dos pais gera atrasos no desenvolvimento cerebral dos filhos



A falta de um clima de segurança e de serenidade na infância deixa marcas na criança, cicatrizes na "anatomia e na fisiologia do seu sistema nervoso central, difíceis de fazer desaparecer", assegurou o psiquiatra e psicanalista Emílio Salgueiro na conferência sobre o Superior Interesse da Criança que decorreu na quinta e na sexta-feira, em Lisboa.

A neurociência moderna demonstra que os bebés criados por pais que não lhes proporcionaram um clima de segurança e de serenidade "mostram um atraso na maturação cerebral", contribuindo para que neles se instale "uma situação de stress permanente, lesando o cérebro e impregnando as vivências da criança de insegurança, aflição e desorganização", alertou Emílio Salgueiro, a propósito da discussão acerca do interesse da criança nos processos de separação dos pais.

SAP. Desde a década de 80 que esta sigla passou a ser usada nos tribunais e em relatórios médicos no âmbito dos processos de regulação das responsabilidades parentais. Introduzida pelo pedopsiquiatra americano Richard Gardner, SAP corresponde à "síndrome de alienação parental" e aplica-se a situações em que as crianças, filhas de pais separados, se recusam a estar com um dos pais, do qual por vezes têm uma imagem distorcida, devido à manipulação do outro. Habitualmente, o termo é utilizado para designar a manipulação da criança pela mãe para a afastar do pai.

A opinião acerca da existência desta síndrome não é unânime e tem sido particularmente contestada por grupos ligados à defesa dos direitos das mulheres e contra a violência doméstica, que consideram que, em muitos casos, as crianças não podem conviver com os pais por suspeitas de que eles são os agressores das crianças, nomeadamente em situações de abuso sexual.

Este entendimento é rejeitado pelos defensores da igualdade de direitos quanto à tutela dos filhos, entre os quais se contam muitos homens que se dizem discriminados pelos tribunais, que os impedem de exercer o direito da guarda dos filhos.

O assunto esteve nos últimos dois dias em debate, em Lisboa, na conferência internacional intitulada O Superior Interesse da Criança e o Mito da Síndrome de Alienação Parental organizada pela Associação Portuguesa de Mulheres Juristas, pelo Instituto de Apoio à Criança, pela Universidade Católica Portuguesa e pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Os dados mais recentes do INE revelam que há quase 26.500 divórcios por ano, em Portugal, uma média de 72 por dia. Em grande parte dos casos, as separações são acompanhadas de conflitos cujos efeitos afectam, sobretudo, os filhos.

E foi esta questão que o psiquiatra Emílio Salgueiro aprofundou na sua comunicação. "O superior interesse das crianças seria o de que não tivesse que haver regulação das responsabilidades parentais", começou por dizer. Notou que um dos direitos naturais da criança é o de "terem um pai e uma mãe que as desejem e que as amem (...)", um amor a que chama de "encantamento fundador".

Quando se chega a um processo de regulação das responsabilidades parentais, "já houve muita coisa que correu mal ou mesmo muito mal, entre os pais, um com o outro, entre os pais e a criança, entre este trio fundamental e a sociedade", salienta. Esse direito nuclear de toda a criança "foi ficando pelo caminho, mais ou menos maltratado, mais ou menos danificado".

As "vicissitudes, positivas e negativas, que vão ocorrendo no casal acompanham-se de vicissitudes paralelas na relação com o filho", observa o psiquiatra, explicando que a neurociência moderna demonstra que os bebés que cresceram num clima sem segurança e serenidade "mostram um atraso na maturação cerebral, em especial dos lobos pré-frontais, com alterações neuronais e diminuição da taxa de serotonina, neurotransmissor fundamental, reequilibrador dos estados de ânimo e de desânimo, propulsor da força de viver e do prazer em estar vivo". E, sem a base de "apoio seguro", instala-se "uma situação de stress permanente, lesando o cérebro".Salgueiro identifica três grandes momentos traumáticos que afectam a criança no seu desenvolvimento emocional: o "clima parental e social precoce negativo", a separação dos pais e as decisões que acompanham a separação, como a "gestão das guardas parentais". O acumular destas várias angústias pode ter um efeito "catastrófico", a menos que "surja uma intervenção exterior revigorante" e "portadora de esperança". E é nesse sentido que Emílio Salgueiro fala de um "tutor de resiliência", alguém que se ligue à criança "por um laço afectivo forte", restaurando um "reencantamento perdido". Na perspectiva deste psicanalista, "a sociedade deveria sentir-se e assumir-se como um gigantesco tutor de resiliência das nossas crianças e dos nossos jovens".

Para Emílio Salgueiro, a chamada "síndrome de alienação parental" é "falada como se de uma doença se tratasse e não das consequências de um conjunto de medidas inapropriadas tomadas em relação a uma criança". E as "guardas partilhadas muitas vezes não passam de um processo de heranças e partilhas", nota.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ideia para presente - nº2


Como já disse, este ano os presentes de Natal vão ser quase todos feitos por nós.
Claro que o dinheiro (ou melhor, a falta dele) são uma das motivações para esta decisão, mas tambem porque acredito que as coisas feitas por nós, com as nossas mãos, levam consigo o carinho que sentimos pela pessoa para quem fazemos determinada coisa e isso vale sempre muito mais do que qualquer outra coisa.
O meu sobrinho mais novo (ainda bebé) vai receber este delicioso macaquinho feito apartir de um par de meias.
Existem muitos animais faceis de fazer com meias, mas este é o mais conhecido e sinceramente o meu preferido.
Aqui ficam as instruções em Inglês:



INSTRUCTIONS:
• Turn sock inside out.
• Sew a seam (A) 1/2" on both sides of center of sock starting 3" from the white of the heel and across the end of top. Cut socks between seams and to within 1-1/2" of white heel. This leaves an opening in crotch.
• Then turn sock so seams are inside and use crotch opening to stuff head, body and legs.
• ARMS:
• Cut the upper part of the sock into two pieces. Seam, rounding ends and stuff the arms.
• MOUTH:
• Cut the heel from the sock, leaving a brown edge around the white. Fasten on lower part of the face, whipping around the bottom; stuff and finish sewing around the top. The mouth can be improved by running stitch of either black or white across the middle of the lips.
• TAIL:
• Cut a 1" strip, taper to end of cuff on length of front of sock. Seam and stuff.
• EARS:
• Cut the ears from the remaining brown part of the sole of the sock.
• EYES:
• Sew on moving eyes; buttons, felt, or embroider with black thread. (For very small children embroider eyes.)
• There are many variations from this basic pattern. Decorations can be either pompons, yarn or bells. Jackets, vests and skirts are also used for clothing the monkey.
MATERIALS:
• One pair Rockford Red Heel Socks.
• Stuffing-cotton batting or polyester fiber.
• Red knitting yarn.
• Black embroidery thread.
• All purpose thread.
• Buttons for eyes (optional)
• Straw hat (optional)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

:)



O que fazer com uma pinha


lion

A importancia de saber chegar a casa


Mário Cordeiro, pediatra, disse na semana passada numa conferência organizada pelo

Departamento de Assuntos Sociais e Culturais da Câmara Municipal de Oeiras, que muitas birras

e até problemas mais graves poderiam ser evitados se os pais conseguissem largar tudo

quando chegam a casa para se dedicarem inteiramente aos seus filhos durante dez minutos.

Ao fim do dia os filhos têm tantas saudades dos pais e têm uma expectativa tão grande em

relação ao momento da sua chegada a casa que bastava chegar, largar a pasta e o telemóvel e

ficar exclusivamente disponível para eles, para os saciar. Passados dez minutos eles próprios

deixam os pais naturalmente e voltam para as suas brincadeiras. Estes dez minutos de atenção

exclusiva servem para os tranquilizar, para eles sentirem que os pais também morrem de

saudades deles e que são uma prioridade absoluta na sua vida. Claro que os dez minutos

podem ser estendidos ou até encurtados conforme as circunstâncias do momento ou de cada

dia. A ideia é que haja um tempo suficiente e de grande qualidade para estar com os filhos e

dedicar-lhes toda a atenção.

Por incrível que pareça, esta atitude de largar tudo e desligar o telemóvel tem efeitos imediatos

e facilmente verificáveis no dia-a-dia.

Todos os pais sabem por experiência própria que o cansaço do fim de dia, os nervos e
stress

acumulados e ainda a falta de atenção ou disponibilidade para estar com os filhos, dão origem

a uma espiral negativa de sentimentos, impaciências e birras.

Por outras palavras, uma criança que espera pelos pais o dia inteiro e, quando os vê chegar,

não os sente disponíveis para ela, acaba fatalmente por chamar a sua atenção da pior forma.

Por tudo isto e pelo que fica dito no início sobre a importância fundamental que os pais-homem

têm no desenvolvimento dos seus filhos, é bom não perder de vista os timings e perceber que

está nas nossas mãos fazer o tempo correr a nosso favor.

in Boletim de Julho da Acreditar

domingo, 13 de novembro de 2011

Nuvens e Estrelinhas - nova data


Nova data!!!
Abertura será a 21 de Novembro.
Para quem pretender, já estão em condições de mostrar a creche, se pretenderem agendar uma visita. Durante a próxima semana estará em vigor uma campanha de isenção do valor da inscrição e redução do preço da mensalidade...
Valor do berçário (somente na opção sem alimentação, pois cada pediatra tem as suas ideias para o 1º ano de vida) são 240€, mas para inscrições feitas esta semana ficará em 210€.
Valor das salas dos 1 e 2 anos irá variar entre os 240€ (sem alimentação) e 340€ (com alimentação), mas durante esta semana será de 200€ e 300€ respectivamente.  Aproveitem! :)

http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002620437652
http://nuvenseestrelinhas.blogspot.com
nuvens.e.estrelinhas@gmail.com

O bebé é finalista

O meu filho Martim é finalista. Ontem teve o jantar e baile de finalistas da escola do 1º ciclo. Enquanto olhava para ele a vestir-...